Ministério da Ciência e Tecnologia

Tupã

Com velocidade máxima de 258 Teraflops, equivalente a 258 trilhões de cálculos por segundo, o Tupã, na época de sua instalação, era o 29º mais rápido supercomputador do mundo, de acordo com a lista Top 500 - Novembro de 2010, e o 3º mais poderoso entre os supercomputadores dedicados à previsão numérica operacional de tempo e de clima sazonal. Considerando as aplicações para mudanças climáticas, ficava em 8º lugar. Esta classificação colocou o Brasil entre os países capazes de gerar cenários futuros de clima para apoio ao quinto relatório do IPCC, o painel da ONU que avalia as consequências do aquecimento global.

A nova máquina também é fundamental para o desenvolvimento e implementação do Modelo Brasileiro do Sistema Climático Global, que incorporará todos os elementos.

O Tupã é um supercomputador Cray XE6 que foi adquirido com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCT) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Instalado no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em Cachoeira Paulista, no interior do estado de São Paulo, ele atenderá ao Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) e ao Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST), ambos do próprio INPE, além de grupos de pesquisa, instituições e universidades integrantes da Rede Brasileira de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas (Rede CLIMA) do MCT, do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT para Mudanças Climáticas).

Avanço nas previsões

Com o Tupã, o INPE poderá gerar previsões de tempo mais confiáveis, com maior prazo de antecedência e de melhor qualidade, ampliando o nível de detalhamento para 5 km na América do Sul e 20 km para todo o globo. Será possível prever ainda eventos extremos com boa confiabilidade, como chuvas intensas, secas, geadas, ondas de calor, entre outros. As previsões ambientais e de qualidade do ar também serão beneficiadas, gerando prognósticos de maior resolução, de 15 km, com até seis dias de antecedência.